domingo, 26 de julho de 2015

Afinal, quanto Custou o planetário da cidade de Natal ?



O Planetário de Natal, que ainda não existe, seria um dos 30 Planetários fixos existentes no Brasil, 8 no Nordeste e aproximadamente 5.000 Planetários existentes no nosso planeta. Em 2009 o governo do Rio Grande do Norte juntamente com a Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (FAPERN) gastou R$ 2 milhõe (787 mil dólares em valores de 2009), em equipamentos tecnológicos de projeção que deveriam ser usados neste planetário de Natal. O projeto não saiu do papel e os equipamentos que são compostos por lentes, computadores, projetores de alta definição e programas de computador entre outros encontram-se ainda em caixas.

Quanto Custou o  planetário da cidade de Natal ?


Para termos uma ideia, coloco aqui uma foto feita hoje 26 de Julho de 2015 do equipamento  do planetário de Boston em pleno funcionamento.  O STARMASTER ZMP da ZEIS. Este é o TOP de linha de uma das maiores  construtoras  de planetário do mundo (Zeiss). Claro, um planetário como este de Boston, financiado por Harvard, Mathematica,  MathWorks outras grandes companhias não poderia ser  algo medíocre. Pois bem, este equipamento em valores referentes a Augusto de   2009 custou em torno de  $300.000.   O nosso foi duas vezes mais caro.

 



 


Segundo o site  do  Tribunal de Contas  do Estado do Rio Grande do Norte,  a  Fapern pagou pelo planetário que não saiu do papel  787 mil dólares, equivalente   à compra e à instalação. Sendo assim um fator 2x com o TOP dos planetários da mesma época como mencionamos

http://www.tce.rn.gov.br/Noticias/NoticiaDetalhada/2961


Segundo meus levantamentos cheguei até a informação abaixo sobre a empresa que vendeu o Planetário ao Governo do Rio Grande do Norte. Aqui um copy/paste

"Planetário de Natal
Instituição: Governo do Estado do Rio Grande do Norte (FAPERN)
Data da Inauguração: em breve
Equipamento: Sky-Skan | DLP6+
Sala de Projeções: 12,19m de diâmetro
Trabalhos Realizados pelo grupo Omnis Lux
Desde 2010 estamos assessorando a FAPERN na implantação deste planetário que deverá ser inaugurado em breve."  What ????


 E se o equipamento de Natal  estivesse funcionado todos os dias desde 2009  ?


 Bom, tipicamente uma entrada de Planetário custa 12 R$ (preço minimo). Se,  numa visão pessimista dos cálculos 50 pessoas assistissem uma  sessão por dia (quase absurdo de tão pouco), seria 600 R$/dia. Se funcionasse  5 dias /semana seria 12.000 R$ mês. Se funcionasse 10 meses por ano geraria 120.000 R$/ano e em 7 anos geraria algo em torno  ~ 900.000, ou seja mais um milhão perdido somente ai. Esse valor deve ser 3x maior que isso se o preço for o "real" e se houver mais de uma seção por dia. 3  é o  razoável. Do ponto de vista de educação a situação é muitas ordens de grandeza mais dramática que isso. Gostaria de saber, afinal de contas de quanto é nosso real prejuízo ? Alguém sabe ?


quarta-feira, 22 de julho de 2015

A tragédia do planetário de 2 milhões de reais da Cidade de Natal, RN

O que fazer quando incompetentes se reúnem ?

Sou Astrônomo e vivo de Astronomia, porém alguns aspectos relacionados com este campo do conhecimento humano em Natal, RN foge  minha compreensão. Estes dias visitando o planetário astronômico de Boston voltei a pensar novamente no famoso planetário de Natal que foi comprado por quase 2 milhões de reais em 2009 na gestão Wilma Faria (Governo do Estado)  e Isaura Rosado, que estava a frente da Fepern.
Segunda consta hoje na página do TCE, a Fapern pagou quase 2 milhões por um planetário de última geração que não saiu do papel e que encontra-se encaixotado em Natal. Talvez tão bom quanto este de Boston na época. Em 2009 eu já era astrofísico professor contratado da UFRN e já não entendia o porque da compra do equipamento antes da realização do projetos de estrutura e alocação do terreno etc.

Também não entendi por que mesmo com a UFRN tendo pesquisadores Astrônomos profissionais, o Governo do RN nunca conversou abertamente com estes, tendo feito uma "panela" em torno do assunto. Aqui em Harvard, praticamente todos os
professores participaram e contribuem ainda até hoje com os temas do planetário, por exemplo agora mesmo passa um programa no planetário sobre a viagem da sonda New Horizon até Plutão. Por que é que isso não acontece no RN? Um dos planetários mais vendidos no mundo foi desenvolvido em colaboração Harvard - MIT.
No período em que este projeto de enganação estava sendo tratado na FAPERN sem nenhum conhecimento dos interessados da comunidade científico-acadêmica, eu presenciei algumas visitas da Professora Isaura ao DFTE, mesmo ela sabendo que sou astrônomo, nunca me perguntado nada! Talvez por intermédio de outros ela já sabia qual seria minha resposta. Já disse em entrevistas para as TV's de Natal qual era  o meu sentimento na época, e que  é o mesmo de hoje:  é preciso quebrar este cerco de incopetencnia e ingerência em torno deste equipamento se quisermos que algo aconteça. Eu continuo repetindo que dinheiro sem conhecimento técnico é inócuo e só serve para alimentar o buraco negro engolidor dos recursos públicos. Precisamos agir! Sugestões ?

 O que temos atualmente em 2015 do planetario de dois milhões adiquirido em 2009 !!!!



"Para o triunfo do mal só é preciso que os bons homens não façam nada...."Edmund Burke.

Prof.  José-Dias do Nascimento Juniuor
Professor do Departamento  de Física da UFRN
Pesquisador visitante do CfA- Harvard University


https://www.facebook.com/zedays/posts/10205786484754632?comment_id=10205788702010062&offset=0&total_comments=9&notif_t=feed_comment